Imagem de fundo do menu

Como usar a tecnologia na educação

Além de melhorarem a qualidade da educação, as ferramentas tecnológicas também ajudam na aproximação entre escola e aluno.

A cada ano que passa, a tecnologia tem um papel mais importante nas salas de aula. Se analisarmos a sua presença no dia a dia dos estudantes brasileiros apenas nas últimas três décadas, já é possível perceber uma evolução gigantesca. E daqui para a frente, a tendência é que a digitalização no ambiente escolar seja ainda maior.

Com a pandemia, esse processo passou por uma intensa aceleração: em apenas alguns meses, as escolas precisaram se adaptar a mudanças que levariam mais alguns anos para acontecer. Um dos principais desafios que surgiram neste cenário foi a falta de preparo dos professores para lidarem com essa situação, sendo que quase 90% deles nunca tiveram experiência com ensino a distância e 55% dizem não ter recebido treinamento para atuarem nesse formato.

Neste artigo, traremos exemplos de como aplicar a tecnologia na educação e quais recursos tecnológicos podem ser utilizados em sala de aula, além de uma lista de cursos de tecnologia voltada para educação. Confira:

1 → Por que usar tecnologia na educação

Hoje em dia, é difícil pensarmos em uma área da nossa vida em que a tecnologia não esteja presente. Ela mudou a forma como consumimos, trabalhamos, nos informamos e até mesmo nos relacionamos. Por isso, nada mais lógico do que ver estes avanços também inseridos no dia a dia em sala de aula.

As ferramentas tecnológicas trazem dinamicidade para o processo de ensino-aprendizagem, melhoram a qualidade da educação e aproximam o aluno da escola. Através delas, os alunos têm acesso a um universo que já começam a dominar antes mesmo de iniciarem o processo de alfabetização. Dessa forma, é possível prepará-los para um futuro que também será mediado pela tecnologia.

Os recursos tecnológicos também podem servir como apoio para os educadores na construção de estratégias pedagógicas mais eficazes. Através de recursos como a inteligência artificial, por exemplo, é possível ter um diagnóstico mais preciso sobre o que cada aluno aprendeu e quais métodos de ensino funcionam melhor para ele. Assim, é possível investir em uma educação mais personalizada em busca de melhores resultados.

Se lá nos anos 90 os alunos eram educados para usar a tecnologia, hoje é a tecnologia que é usada para educar.

2 → Exemplos de como aplicar a tecnologia na educação

Usar a tecnologia na educação não significa apenas transpor as práticas pedagógicas atuais para o ambiente online. Essa ferramenta permite muito mais: é possível realizar abordagens disruptivas, escalar oportunidades de aprendizagem e trabalhar com métricas de avaliação que antes eram impensáveis.

Confira abaixo o relato do Luiz Filipi Schveitzer, redator na Studos, sobre sua experiência com a tecnologia no final de 2020:

Ao iniciar o último estágio de docência obrigatório na faculdade de Letras português (Licenciatura) no início de 2020, tive o desafio de montar um projeto didático para ser aplicado durante a pandemia em uma turma do Ensino Médio de um colégio público de periferia, localizado na Grande Florianópolis. Por conta do Ensino Remoto Emergencial (ERE) que se sucedeu, eu e minha dupla encontramos dois problemas na elaboração do projeto, sendo o primeiro garantir que todos os alunos recebessem o material – tanto os que tinham acesso à internet e poderiam consultá-lo digitalmente, quanto os que só podiam recorrer ao impresso – sem perder a qualidade do mesmo. Para isso, montamos uma proposta didática em formato de jornal, o qual poderia tanto ser aberto em smartphones, tablets e computadores, quanto ser impresso (sem causar muito gasto à escola). Gerando, assim, uma interação previamente mediada entre estudante e professor. Entretanto, a segunda dificuldade era garantir a devolutiva dos estudantes aos professores. O que não foi possível de acontecer em todos os casos por ser um colégio público estadual periférico. No ERE, o uso de jogos lúdicos acaba variando conforme a quantidade de alunos, a turma e o perfil da escola.

Já que nem todos os estudantes conseguem participar das chamadas de vídeo com a turma, por exemplo. Às vezes, os recursos que a escola tem para imprimir materiais é baixo, o que também não permite ao professor produzir materiais muito elaborados. Pensando na experiência que tenho tido com a plataforma Studos, acredito que ela poderia ajudar aos professores e escolas de rede pública e privada em receber as devolutivas dos alunos já que, sendo proporcionada estrutura à comunidade escolar, os estudantes teriam como acessar e interagir com o material em meio digital. Isso, de certo modo, contribui para a melhorar a qualidade do ensino no ERE e EAD.

3 → Quais recursos tecnológicos utilizar na educação 

Confira alguns recursos tecnológicos que podem melhorar a dinâmica em sala de aula e facilitar a gestão da escola como um todo:

  1. Objetos digitais de aprendizagem: esses recursos, como jogos, simuladores e videoaulas, servem de apoio à prática pedagógica dentro e fora de sala de aula. Eles tornam o ensino mais dinâmico e auxiliam os professores na elaboração de atividades que despertem o interesse dos alunos.
  2. Plataformas online de ensino e aprendizagem: nesses ambientes, a troca de informações entre alunos e professores é mais fácil, permitindo um acompanhamento mais próximo do desempenho de cada estudante. Muito usadas desde o início da pandemia, essas plataformas permitem desde a criação de cursos a distância até o suporte para o ensino híbrido.
  3. Ferramentas de gestão: voltadas para a parte administrativa da escola, essas ferramentas permitem a automatização e simplificação de processos. Dessa  forma, os professores investem menos tempo em tarefas burocráticas e podem se dedicar mais aos seus alunos. Essas ferramentas podem auxiliar desde a gestão escolar e de sala de aula até tarefas que demandam muito tempo, como a correção de provas.
  4. Ferramentas de experimentação:

    estas ferramentas permitem aos alunos a produção de produtos e projetos como até pouco tempo atrás não seria possível. Em processos de educomunicação, por exemplo, eles podem desenvolver podcasts, sites, livros digitais, vídeos e outros formatos que estimulam competências de uma forma muito mais dinâmica do que o ensino tradicional permitiria. Aqui os alunos conseguem assumir o protagonismo do seu próprio processo de aprendizagem.

 

4 → Cursos de tecnologia para a educação 

A educação continuada é essencial para todo educador. Quando se trata de tecnologia, ela é ainda mais necessária. As ferramentas evoluem o tempo todo, então é preciso que o educador esteja preparado não só para o uso correto, mas também para explorar o melhor que elas têm a oferecer.

Confira alguns cursos que podem ajudar nessa tarefa: 

Programa Nacional de Formação Continuada em Tecnologia Educacional

O programa é voltado para profissionais da rede pública de ensino com o objetivo de incluir tecnologias da informação à dinâmica pedagógica. Os cursos ofertados são de Introdução à Educação Digital, Tecnologias na Educação, Elaboração de Projetos e Redes de Aprendizagem e têm duração entre 60 e 40 horas.

Curso de formação de professores da Escola Digital

A Escola Digital é uma plataforma gratuita de busca que oferece a professores, gestores e redes de ensino mais de 30 mil recursos digitais de aprendizagem, que proporcionam interatividade, dinamismo e inovação às práticas pedagógicas.

Curso Gratuito EaD: Tecnologias da Microsoft para a Educação

Neste curso o educador aprenderá a elaborar e gerenciar atividades didáticas online, criar avaliações somativas e formativas através de formulários digitais, produzir conteúdos educacionais e disponibilizá-los na internet, despertar o interesse pela aprendizagem através das tecnologias digitais, dentre outras funções necessárias para o ensino.

Ensinando com tecnologia e investigação: um curso aberto para professores

O curso online e gratuito foi desenvolvido pela Universidade de Toronto e está disponível com legendas em português. O treinamento completo dura oito semanas, com três a cinco horas de estudo semanais e trata de temas voltados para a aprendizagem do aluno e para a identificação de possibilidades relacionadas a tecnologias de ensino-aprendizagem.

Leia também:

Tecnologia em sala de aula. Por onde começar?

Qual a importância da tecnologia na educação?

Peça uma demonstração