Imagem de fundo do menu

Para que serve a BNCC

A Base Nacional Comum Curricular determina os conhecimentos e as habilidades essenciais que todos os alunos têm o direito de aprender.

A Base Nacional Comum Curricular é um documento criado com o objetivo de tornar a educação mais igualitária. Como o próprio nome já diz, ela constitui a base do que todos os estudantes brasileiros devem aprender ao longo de sua vida escolar, independentemente da região em que mora, bem como de aspectos como raça ou classe socioeconômica.

A BNCC é obrigatória e deve servir como base para a elaboração dos currículos de todas as escolas da rede pública e particular, sejam elas urbanas ou rurais. O documento está previsto na Constituição de 1988, na Lei de Diretrizes e Bases da Educação Nacional, nas Diretrizes Curriculares Nacionais e no Plano Nacional da Educação.

O processo de elaboração da BNCC iniciou em 2015 e foi conduzido pelo MEC, Consed (Conselho Nacional de Secretários de Educação), Undime (União Nacional dos Dirigentes Municipais de Educação) e CNE (Conselho Nacional da Educação), com a participação da sociedade civil, de professores e de gestores. Depois de três etapas de revisão, teve sua versão final homologada em 2017 pelo Ministro da Educação.

Conheça mais sobre a Base Nacional Comum Curricular, como ela interfere nas relações educacionais e saiba como as escolas devem se preparar para atender às regras.

MENU DE NAVEGAÇÃO

1 → Para que serve a BNCC

2 → O que a BNCC muda nas relações educacionais

3 → Como preparar a escola para atender às regras da Base

4 → Mitos e verdades sobre a BNCC

1 → Para que serve a BNCC

O principal objetivo da BNCC é melhorar a qualidade do ensino no país. No momento em que todas as instituições seguem a mesma referência para elaborarem seus currículos, é possível ter maior igualdade nos níveis de educação.

A partir do currículo, cada instituição tem autonomia para elaborar suas metodologias de ensino, abordagens pedagógicas e avaliações, assim como explorar diferentes formas de integração entre disciplinas. O papel da BNCC é de dar o rumo a ser seguido para que os currículos determinem os caminhos que serão tomados.

A BNCC orienta desde as competências gerais até as competências específicas que os alunos devem desenvolver em cada área, assim como a progressão e o sequenciamento de conteúdos a serem aprendidos e habilidades a serem desenvolvidas ao longo de toda a educação básica.

2 → O que a BNCC muda nas relações educacionais

A Base Nacional Comum Curricular é muito mais completa do que as diretrizes adotadas antes da sua implantação. Por conta disso, algumas adaptações são necessárias para que as instituições consigam seguir as orientações do documento.

Uma das principais mudanças está ligada à elaboração de currículos, mas não é a única. A BNCC também influencia diretamente na formação inicial e continuada dos professores, além da elaboração do material didático, das avaliações aplicadas e do apoio pedagógico fornecido aos alunos.

É esperado que as instituições promovam:

  • Desenvolvimento integral através de 10 competências gerais norteadoras (referentes a aspectos cognitivos, sociais e pessoais);
  • Aprendizagem ativa, que favorece o protagonismo do aluno;
  • Campo de experiências, que acolhe a realidade e as situações cotidianas vividas pelos alunos e;
  • Progressão da aprendizagem, onde cada nível de ensino prepara o aluno para o desenvolvimento de habilidades mais complexas.

Com um direcionamento mais efetivo, os professores e gestores têm uma referência mais clara para ajudá-los na elaboração do plano de ensino, assim como eles também conseguem se planejar melhor para lidar com os desafios que surgem em sala de aula. De uma forma ainda mais ampla, os responsáveis e a comunidade também conseguem entender com mais clareza o que podem esperar do sistema de ensino e como podem acompanhar o desenvolvimento do aluno.

Tecnologia e educação na BNCC, como utilizar a tecnologia para motivar alunos

3 → Como preparar a escola para atender às regras da Base

1. Fazer a revisão curricular e do PPP da escola

A implementação da BNCC deve começar pela reformulação do currículo e do Projeto Político Pedagógico (PPP) da escola a fim de que eles inclua práticas, conteúdos, competências e habilidades previstos no documento, assim como aqueles alinhados à realidade da instituição. Além de gestores e professores, os pais e os alunos também são bem-vindos durante esse processo de alinhamento.

2. Formação continuada dos professores

São os professores que sempre estarão à frente de todas as transformações propostas para a educação brasileira, portanto a sua formação deve ser prioridade. Eles precisam estar preparados e seguros em relação às mudanças propostas para que consigam aplicá-las no dia a dia da sala de aula.

3. Atualização dos materiais didáticos

O materiais didáticos utilizados nas escolas também precisam estar alinhados com as novas diretrizes da Base Nacional Comum Curricular. As escolas devem garantir essa atualização, assim como devem se certificar de que eles conversam com o sistema de ensino utilizado pela escola.

4. Comunicação com pais e a comunidade escolar

A transparência é essencial em momentos de mudança. A escola não deve deixar de comunicar a todos os envolvidos sobre a importância das diretrizes da BNCC e sobre o papel de cada um nesse momento de mudança.

4 → Mitos e verdades sobre a BNCC

A BCNN vai orientar a reforma do ensino médio.

VERDADE. A reforma do Ensino Médio prevê que uma parte do ensino médio será composta por conhecimentos comuns a todos os alunos, enquanto a outra contará com um currículo flexível, onde o aluno escolhe seus conhecimentos conforme as opções oferecidas pela escola.

A BCNN surgiu no governo atual.

MITO. O documento começou a ser discutido em 2015 e já passou por várias gestões, tendo recebido contribuições em consultas e audiências públicas. Em dezembro de 2017 ela foi homologada pelo Ministro da Educação. Também é importante destacar que a BCNN é uma política de estado e não está ligada a nenhum governo ou partido específico.

A BNCC vai padronizar o ensino em todas as escolas brasileiras.

MITO. O que a BNCC traz são diretrizes baseadas no que todos os alunos têm direito de aprender. Com base nisso, as escolas poderão construir seus currículos, desenvolvendo metodologias e abordagens pedagógicas de acordo com a sua realidade.

A BNCC não determina como ensinar, mas sim o que ensinar.

VERDADE. A BNCC não tem a intenção de tirar a autonomia dos professores, mas sim promover mudanças que agreguem positivamente no sistema de ensino brasileiro como um todo.

Leitura complementar:

Avaliação de aprendizagem: otimização para medir o desempenho do aluno

Plano de ação escolar: como traçar objetivos

Avaliação diagnóstica: utilize como ferramenta estratégica

Peça uma demonstração